quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Um Cristal Quebrado













Meu caro amigo (a),


Realmente, escrever é a melhor forma que encontrei de deixar transbordar meus sentimentos que não são ditos, que se escondem em meus pensamentos.

Não conheço quem passa por aqui...

Se quem passa, pára pra ler o que escrevo. Talvez a primeira vista não vejam nada, mas depois quem sabe...

Eu sempre digo quem escreve, escreve pra alguém, não importa quem.
Quem ler é porque precisava ouvir algo.



















Somos frágeis quando assunto fala de sentimentos, do coração...

Coisas do coração são iguais em qualquer um, em qualquer parte do mundo.

Quem nunca se sentiu sozinho precisando de carinho, com vontade de amar, com peito sufocado de saudade.
Quem nunca se sentiu assim, um cristal quebrado, sentimentos estraçalhados.
Dizem que quando um amor acaba; ele se quebra, não se cola mais. No seu lugar nasce o ódio.
Penso que não seja tão extremo assim.
Vejo um amor que se quebra como uma taça de cristal que estava com vinho, e ao cair se dividiu em partes, uma delas é o vinho que derramou_ o desejo, a paixão que se perdeu. Quanto às outras, foram os corpos que se afastaram, espedaçaram_ uma taça divida, pedaços que seguem direções opostas.
Uma taça quebrada não se cola.
Um vinho derramado é os sentimentos revirados.
É assim que um amor se acaba...
Um cristal quebrado, um vinho derramado, um sonho estraçalhado.
Nunca mais serão os mesmos!
...E ódio?!
São apenas mágoas que ficaram.
Nada mais importa...




Um comentário:

"Ler é um risco...Comentar é preciso!"