quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

“Segundos que valem por uma eternidade...”































Meu caro amigo (a)




Existe desejo sem amor, mas não existe amor sem desejo.

O vazio que fica quando esse desejo, seja ele com amor ou não, não chega ao seu clímax, é como tomar banho de chuva e não sentir a roupa molhada colada no seu corpo.

Ultimamente tenho falado muito sobre amores vividos, perdidos; correspondidos ou não. E, agora, vejo que é preciso falar dos complementos de um relacionamento a dois. Os impasses e contratempos que ocorrem nos momentos de intimidades, que às vezes causa danos que podem acabar com a relação. Neste momento de incertezas e inseguranças, o diálogo seria a melhor solução, porém, sempre, um dos dois se cala...

Porque omitimos que não foi como esperássemos que fosse?

Fingir!


Não é um ato sensato. É se anular diante de tudo que foi feito para que o momento tivesse sido primoroso...


O que acontece “quando as desculpas não são mais suficientes?”


Espero que eu consiga descrever com palavras o significado desses “Segundos que valem por uma eternidade.” respondendo estes questionamentos.

Tudo começa com fim que não se concretiza...






...Retomarei essa conversa em breve!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Tal Compromisso...










Meu caro amigo (a),


Nesses últimos dias passei refletindo o que seria um compromisso, se este teria o mesmo sentido de submissão, ou quem sabe de prisão. Se realmente só existe traição, quando há compromisso.



Compromisso...


Que “raio de palavra” é essa que aprisiona, encarcera os sentimentos e, ao mesmo tempo, torna-se o certificado de segurança e de posse entre um homem e uma mulher.

Amar não é aprisionar.

É deixar livre quem agente ama pra vim quando a saudade sufocar o peito, o desejo queimar o corpo, que gritará por socorro; esquecendo a sensatez, arriscando-se a viver um momento que seja único...

Penso em compromisso com apenas um sentido, a complementação um do outro, sem aprisionar quem aprendemos amar em liberdade. A liberdade poucos a compreende, porque, por um lado ela lhe traz quem você quer quando a saudade aperta, mas depois o tira de você, por não haver compromisso...

Estamos sempre correndo o risco de quem amamos siga outro caminho.
O Amor é como vento, segue sem direção...
Quanto à traição, melhor pensando bem, é a certeza que perdemos quem não nos pertence; não só por causa de um mero compromisso, mas por não existir amor.

O amor e a fidelidade trilham um o mesmo caminho.

Um Cristal Quebrado













Meu caro amigo (a),


Realmente, escrever é a melhor forma que encontrei de deixar transbordar meus sentimentos que não são ditos, que se escondem em meus pensamentos.

Não conheço quem passa por aqui...

Se quem passa, pára pra ler o que escrevo. Talvez a primeira vista não vejam nada, mas depois quem sabe...

Eu sempre digo quem escreve, escreve pra alguém, não importa quem.
Quem ler é porque precisava ouvir algo.



















Somos frágeis quando assunto fala de sentimentos, do coração...

Coisas do coração são iguais em qualquer um, em qualquer parte do mundo.

Quem nunca se sentiu sozinho precisando de carinho, com vontade de amar, com peito sufocado de saudade.
Quem nunca se sentiu assim, um cristal quebrado, sentimentos estraçalhados.
Dizem que quando um amor acaba; ele se quebra, não se cola mais. No seu lugar nasce o ódio.
Penso que não seja tão extremo assim.
Vejo um amor que se quebra como uma taça de cristal que estava com vinho, e ao cair se dividiu em partes, uma delas é o vinho que derramou_ o desejo, a paixão que se perdeu. Quanto às outras, foram os corpos que se afastaram, espedaçaram_ uma taça divida, pedaços que seguem direções opostas.
Uma taça quebrada não se cola.
Um vinho derramado é os sentimentos revirados.
É assim que um amor se acaba...
Um cristal quebrado, um vinho derramado, um sonho estraçalhado.
Nunca mais serão os mesmos!
...E ódio?!
São apenas mágoas que ficaram.
Nada mais importa...




Vem...





Vem...

Despe-me com teus olhos.
Dope-me com teu perfume.
Desarme-me com tuas mãos.
Prende-me em teus braços.
Aquece-me com teu calor.
Descobre com tua boca os meus segredos.
Confessar-me-ei em cada beijo...

Vem...

Despe-me com tuas mãos.
Dope-me com teu calor.
Desarme-me com teu perfume.
Prende-me com teus olhos.
Aquece-me em teus braços
Descobre com tua boca os meus segredos.
...Confessar-me-ei em cada beijo.
By Elieuza